Please reload

Posts Recentes

As profissões de 2017: Como se Destacar e não ficar para trás

17/01/2017

1/2
Please reload

Posts Em Destaque

As profissões de 2017: Como se Destacar e não ficar para trás

17/01/2017

 

Decidir em qual carreira se restabelecer no mercado de trabalho, a ideal ou aquela que trará a melhor oportunidade de emprego ao se formar, é uma tarefa que envolve muitos fatores. Com o fim de 2016 que esteve junto à crise econômica, as empresas continuam com os orçamentos restritos, buscando equilibrar as contas ao cortar despesas e limitar os gastos com o quadro de funcionários.

 

Com esse atual cenário desafiador, qual a perspectiva para os trabalhadores em 2017 e para os próximos anos?

Segundo a coordenadora do Núcleo de Orientação à Carreira do Centro Universitário Carioca, Maura Xerfan, a crise econômica do ano de 2016 ainda terá alguns resquícios no primeiro semestre de 2017. “A gente imagina que a economia precisa de um tempo para se restabelecer, então não deve mudar imediatamente nesse primeiro semestre, mas ela vai melhorar no segundo semestre e será uma mudança significativa para o mercado de trabalho”, afirma Maura.

 

A melhoria acontece para todos, universitários, desempregados, pessoas com o cargo ameaçado e até os que buscam o primeiro emprego. Com oportunidades, cada um pode se destacar com novas especializações. Além disso, a coordenadora conta também sobre quais perfis são procurados pelas empresas atualmente. "Uma das coisas que estão sendo muito procuradas mesmo é o potencial de criação, ou seja, ser uma pessoa proativa, buscar soluções e não esperar que aquilo seja resolvido pelo chefe", concluiu Maura. Veja abaixo a entrevista completa:

 

Quais as profissões que estarão em alta no futuro? Há alguma profissão que tende a ser descartada?
Maura Xerfan - Em termos de profissão e de carreira propriamente dita, para o ano de 2017, estamos em um ano que, embora estejamos falando muito sobre “sair da crise”, a crise não é um fato isolado, a economia não adoece e se recupera imediatamente. A nossa economia está passando por um processo como se estivesse em uma “Unidade de Tratamento Intensivo (UTI)”, então, ela não sai da UTI completamente disposta, a economia precisa de um tempo para se recuperar. Com isso, esse primeiro semestre não será um momento de recuperação imediata como algumas pessoas estão esperando. A gente imagina que a economia precisa de um tempo para se restabelecer, então não deve mudar imediatamente nesse primeiro semestre, mas ela vai melhorar no segundo semestre e será significativa para o mercado de trabalho.

 

A partir disso, os profissionais que são bons negociadores na área Administrativa e Financeira serão bem valorizados pelo mercado, pois muitas empresas irão precisar retomar seus investimentos e fazer novas compras. Em função disso, temos a área do administrador bem valorizada. Já em relação às áreas que podem ser descartadas, estão as com cargos específicos, onde podem ser substituídos por setores correlatos. Um exemplo é o desenvolvedor de novos negócios, um cargo super específico que pode ser executado pela área Comercial. Esses cargos geram custos para as empresas, com isso, eu acredito que estejam ameaçados.

 

Para quem é profissional de alguma área que tende a ser descartada, quais as dicas para se restabelecer no mercado?
O importante é saber que uma graduação abre um leque enorme de oportunidades e carreiras. Com isso, olhar um pouco para a sua formação e conhecer melhor as áreas que seu curso abrange, é uma ótima dica para se restabelecer no mercado de trabalho. Buscar uma especialização em algum segmento diferente e que possa se destacar, também pode ser visto como um diferencial.

 

Dentro das profissões que estarão em alta no futuro, quais principais áreas para se especializar?
Focar em não deixar a faculdade, cumprir um bom programa de estágio e procurar um programa de trainee são importantes. Grandes universidades têm se destacado no mercado pela referência com os programas de horas complementares, que faz com que os universitários tenham uma vivência profissional. Participar de visitas técnicas é um diferencial e valoriza o aluno. O estudante tem que viver a faculdade além das salas de aula, ir além do que a mesma oferece.

 

Quais as chances de crescimento dentro das áreas?
Hoje em dia as pessoas muitas vezes querem galgar cargos maiores dentro das empresas, mas não se preocupam em se qualificar. Eu mesma já tive uma experiência particular em uma empresa que fui dar uma palestra e o gerente de Recursos Humanos pediu para eu enfatizar isso, porque tem gente que está lá e que acha que porque tem dez anos de empresa será promovido, e não é assim. O investimento de carreira é algo muito importante, como fazer um MBA, pós-graduação ou um novo idioma. Adquirir um conhecimento diferente será sempre distinguido para uma avaliação com o foco de crescimento de
carreira.


Quais são as expectativas a longo e curto prazo das áreas em crescimento?
No primeiro momento será algo bem discreto, mas ao longo de uma melhoria e recuperada a economia, as empresas vão voltar a recontratar. Os quadros foram muito enxugados e houve uma reestruturação muito grande, desta forma, muitos profissionais ficaram sobrecarregados fazendo mais de uma função ao mesmo tempo. Com isso, acaba que a produtividade não é a mesma e a empresa vai crescer em duas áreas, que são as áreas de Tecnologia e Logística.

 

A gente também tem uma área com toda essa parte de carreiras voltadas para uma preocupação sustentável. A formação de professor, as mais acadêmicas ou as que buscam a ciência como pesquisa de desenvolvimento, não só do estudo, mas para colaborar com a sua cidade, também são carreiras com futuro. O mundo está precisando de muitas soluções, então esse tipo de carreira vai ser muito valorizada ao longo do ano.


Há algum tipo de perfil para essas áreas?
Acredito que algumas coisas são necessárias para todas as áreas. As pessoas precisam estar antenadas e ligadas a tudo que sai em relação à carreira que ela vivencia ou vai ingressar. O espírito empreendedor também é muito valorizado. O mercado está atrás de pessoas criativas, proativas, com atitude e liderança.

 

Como o profissional pode acompanhar e se manter atualizado sobre as tendências do mercado?

Independente da área que o profissional atua, é interessante ele estar sempre voltado a grupos e sites, para acompanhar assuntos relacionados ao mercado de trabalho. Muitos grupos têm diversos tipos de assuntos abordados em prol de boas discussões, onde o profissional pode acompanhar e se atualizar.

 

Há oportunidades para primeiro emprego?
As empresas são sempre muito abertas para quem está vindo de um bom programa trainee ou estágio, há grandes chances de ingressar a partir daí. Quando a gente fala do primeiro emprego, mesmo as pessoas tendo dificuldades de se inserir nessas áreas, elas acabam ingressando em áreas afins, para crescer dentro da empresa e migrar. Esta é uma grande realidade do mercado.

 

Para os universitários que ainda vão ingressar no mercado, como se preparar? Coordenadora do Núcleo de Orientação a Carreira do Centro Universitário Carioca (Unicarioca), Maura Xerfan vamente e a demanda vai voltar a existir.

 

Para os profissionais mais experientes, há oportunidades nestas áreas?
Algumas empresas estão até voltando a essa questão de idade. Isso acontece muito em empresas que precisam de um comportamento mais conservador, de uma postura mais madura. O profissional sênior dá muito mais tranquilidade para quem esta trabalhando com ele. Existem algumas carreiras e empresas que precisam deste tipo de profissional e valorizam muito eles.

 

 

Há alguma dica para quem esteja desempregado e procura uma oportunidade no mercado de trabalho?
O principal é estar constantemente atualizado. O profissional não pode se desligar, ele precisa estar sempre estar acompanhando o mercado, mesmo com dificuldades.

É importante estar sempre em eventos para trocar contatos e conhecer pessoas novas, que possam agregar valores.

 

Buscar uma área para ser voluntário também é uma ótima saída, pois é mais um local para conhecer pessoas e trocar contatos, além de ser visto. É preciso também saber usar as redes sociais como uma vitrine. As pessoas às vezes não captam todo o potencial que a rede social tem.

 

O que será visto como um diferencial?
Uma das coisas que está sendo muito procurada é o potencial de criação. É preciso também ser uma pessoa proativa, buscar soluções e não esperar que as coisas sejam resolvidas pelo chefe. As pessoas precisam estar mais motivadas. Eu acredito que alguns processos seletivos, dentro das empresas, acabam eliminando candidatos que chegam aparentemente tristes.

 

Colocar um brilho nos olhos ajuda, faz com que a empresa veja motivação no candidato.

 

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
  • Facebook Basic Square
  • Grey Instagram Icon
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square